Resenha de Inimigos Mortais

Tem coisa que aquece mais o coração do que o depoimento de um leitor? Preciso compartilhar com vocês essa maravilha que a leitora Ana Clara Barreiros compartilhou sobre meu livro:

Em 4 dias encerrei a leitura de Inimigos Mortais. Não porque o livro exigisse 4 dias pra ser lido. Eu muito bem podia o ter devorado em uma noite. Acontece que, após os primeiros 8 capítulos já me encontrava economizando linhas e parágrafos, como quem não quer que a experiência, maravilhosa por sinal, acabe logo. Eu já havia paquerado a capa, me encantado pelo carisma da autora, me interessado pela história. Ainda assim, foi só depois de iniciar a leitura que eu verdadeiramente compreendi o sucesso desse título.

Acontece que Inimigos Mortais conta com muito, muito mais do que só uma história envolvente. Os personagens são, em sua totalidade, incríveis. Nenhum passa desapercebido e todos cravam suas garras no leitor, prendendo nossa atenção. O enredo mantém um ritmo inacreditável que não permite ao leitor querer descansar. A narrativa é muito bem elaborada e a autora se supera a cada capítulo.

De fato, este livro tem efeito sobrenatural no encanto que causa. Pode parecer exagero tamanho deslumbramento por uma obra que conta com criaturas tão famosas quanto lobisomens e vampiros no seu epicentro mas… essa obra revoluciona o gênero fantástico. A mitologia e folclore das duas raças sobrenaturais é ampliada. Os personagens, por vezes, debocham de como são preguiçosamente representados na cultura popular e fazem paródia de muitos dos mitos que outros autores adotam, quase que com medo de inovar.

E por falar em inovação, isso é algo que a autora J.C Gray definitivamente traz ao tema. Este livro traz lobisomens e vampiros como você nunca antes viu. A ferocidade, a ousadia, a sedução. Todos esses elementos presentes na trama mudam por completo a forma como se pensa o sobrenatural.

O livro é uma brisa de ar fresco para os elementos clássicos do terror que, aqui, não é adolescente. Com personagens mais vividos e ares mais adultos, Inimigos Mortais te convida a revisitar tipos que você pensou ter conhecido bem durante a adolescência. Já mais experiente, você descobre que o mundo das presas duplas e das quatro patas pode ser bem mais sedutor.

Com o sobrenatural mais próximo e aqui sob um novo olhar, um mais sóbrio e crítico, as situações ganham proporções fenomenais mesmo estando restritas a uma única cidade, a dos anjos, é claro. Se você espera já encontrar nesse primeiro volume uma guerra internacional, uma batalha gigantesca ou algo do tipo, esqueça. Inimigos Mortais se delicia nas entrelinhas dessas dicotomias. Não há “bem” e “mal”. Existe a realidade que partilhamos com o fantástico e toda sua moralidade dúbia. Ainda assim, as proporções são fenomenais e incendeiam a tudo e a todos.

O livro, por si só, é como um incêndio que consome a imaginação. Ele se alastra sem que você perceba e quando você vê, está cercado. E uma das minhas descobertas favoritas com essa experiência foi a de que virar pó nas mãos de J.C Gray é algo maravilhoso. Lendo, me permiti ter apagados quaisquer pré-conceitos que eu tivesse sobre vampiros e quaisquer preferências quanto a retratação dos lobisomens. Entregue nas mãos da autora, foram inúmeros os momentos em que até o ar me faltou devido a surpresa, ao choque, ao deleite.

Até mesmo o humor usado na trama deixa sem palavras o leitor. É surpreendente a forma sarcástica como os personagens se encontram a vontade perante a iminência de morte e o risco, já palpável, de destruição. O leitor, mesmo envergonhado, prova um pouco desse poder e confiança através dos personagens construídos pela autora e se faz e refaz conforme o avançar dos capítulos. Definitivamente, uma experiência difícil de ser igualada.

Encerro comentários com o desejo egoísta por mais. O livro é como uma droga, extremamente viciante e que, por óbvio, há de me deixar com diversos efeitos colaterais. Um deles provavelmente vai ser acompanhar bem de perto os próximos passos da autora na literatura. Guardem o nome J.C Gray, ele há de proporcionar ainda mais entretenimento de qualidade.

Com personagens bem bolados e uma trama fechada, este livro é solo fértil para que muitas outras histórias conquistem os leitores. Termino hoje um título já certa de que outros virão no futuro. Tal como prometido, personagens como Shay e Adrien vão retornar pra nos visitar nos melhores sonhos e leituras. Se tivermos sorte, claro.

 

Maravilhosa não é? Aqui está o link da postagem original, quem puder deixa seu like lá para ajudar ela também!

Também não deixem de conferir a resenha da Danielle M Tostes aqui!

Tagged , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *